A PASCOA É, TAMBÉM, A VITÓRIA SOBRE O “SISTEMA”!



1ª ABORDAGEM
Buscavam encontrar em Jesus alguma acusação para prendê-lo!

ALGUMAS DAS ACUSAÇÕES
•    Possuído pelo mal: Também os escribas, que haviam descido de Jerusalém, diziam: "Ele está possuído de Beelzebul: é pelo príncipe dos demônios que ele expele os demônios”. ( Mc 3, 22)
•    Louco: Quando os seus o souberam, saíram para o reter; pois diziam: "Ele está fora de si.” (Mc 3, 21)
•    Falso profeta: Ao presenciar isto, o fariseu, que o tinha convidado, dizia consigo mesmo: Se este homem fosse profeta, bem saberia quem e qual é a mulher que o toca, pois é pecadora (Lc 7, 39).
•    Aproveitador: Uns diziam: “Ele é bom”. E outros: “Não, antes engana o povo.” (Jo 7, 12)
•    Errático: O Filho do Homem vem, come e bebe, e dizem: É um comilão e beberrão, amigo dos publicanos e dos devassos (Mt 11,19).
•    Descumpridor da lei: Ora, os escribas e os fariseus observavam Jesus para ver se ele curaria no dia de sábado. Eles teriam então pretexto para acusá-lo (Lc 6, 7).
•    Blasfemador: A estas palavras o sumo sacerdote rasgou suas vestes, exclamando: Que necessidade temos ainda de testemunhas? Acabastes de ouvir a blasfêmia! Qual o vosso parecer? Eles responderam: Merece a morte (Mt 26, 65-66)!

2ª ABORDAGEM
Não encontrando nenhuma culpa legalista sobre Jesus, buscaram procurar nele uma fraude espiritual: a blasfêmia!

OS ACONTECIMENTOS
•    Quando estavam à mesa e comiam, disse Jesus: Em verdade vos digo que um de vós, que come comigo, me trairá (Mc 14, 18).
•    Estando eles comendo, tomou Jesus o pão e, tendo dado graças, partiu-o e deu-lhes, dizendo: Tomai; este é o meu corpo. Tomando o cálice, rendeu graças, e deu-lhe; e todos beberam dele. Disse-lhes: Este é o meu sangue, o sangue da aliança, que é derramado por muitos (Mc 14, 22-24).
•    No mesmo instante, enquanto ainda falava, chegou Judas, um dos doze, e com ele uma multidão, armada de espadas e varapaus, enviada pelos principais sacerdotes, pelos escribas e pelos anciãos (Mc 14,43).
•    O traidor lhes havia dado um sinal, dizendo: Aquele a quem eu beijar, esse é que é; prendei-o e levai-o com segurança. Havendo chegado, aproximou-se logo de Jesus e disse: Mestre; e o beijou (Mc 14,44-45).
•    Levaram Jesus à casa do sumo sacerdote, e reuniram-se todos os principais sacerdotes, os anciãos e os escribas (Mc 14,53).
•    Os principais sacerdotes e todo o sinédrio buscavam testemunho contra Jesus, para o entregar à morte, e não o achavam; pois muitos depunham falsamente contra ele, mas os seus depoimentos não eram coerentes (Mc 14, 55-56).
•    Mas ele conservou-se calado e nada respondeu. Tornou a perguntar-lhe o sumo sacerdote: És tu o Cristo, o Filho do Deus Bendito? Respondeu-lhe Jesus: Eu o sou; e vereis o Filho do homem sentado à mão direita do Todo-poderoso e vindo com as nuvens do céu. O sumo sacerdote, rasgando as suas vestes, disse: Que necessidade temos ainda de testemunhas? Ouvistes a blasfêmia: que vos parece? Todos o julgaram réu de morte (Mc 14, 61-64)!

3ª ABORDAGEM
Não havia fraude espiritual em Jesus, pois a própria lei o amparava!

A LEI
•    Os judeus responderam-lhe: Não é por causa de alguma boa obra que te queremos apedrejar, mas por uma blasfêmia, porque, sendo homem, te fazes Deus. Replicou-lhes Jesus: Não está escrito na vossa lei: Eu disse: Vós sois deuses. Se a lei chama deuses àqueles a quem a palavra de Deus foi dirigida (ora, a Escritura não pode ser desprezada), como acusais de blasfemo aquele a quem o Pai santificou e enviou ao mundo, porque eu disse: Sou o Filho de Deus? Se eu não faço as obras de meu Pai, não me creiais. Mas se as faço, e se não quiserdes crer em mim, crede nas minhas obras, para que saibais e reconheçais que o Pai está em mim e eu no Pai (Jo 10, 33-38).

4ª ABORDAGEM
A prisão de Jesus de Nazaré e os seus possíveis culpados!

OS CULPADOS 
Reflexão: Os soldados... Por obediência?
Reflexão: Judas... Por se sentir traído?
Reflexão: Pilatos... Pela covardia?
Reflexão: Os sacerdotes... Pela inveja?
Reflexão: As classes dominantes... Pela proposta de vida apresentada por Jesus ao mundo?
Reflexão: O povo... Pela sua cegueira social inflamada pelos sacerdotes, escribas e fariseus?

5ª ABORDAGEM
O povo admirava Jesus, mas preferiu Barrabás!

Reflexão: Por que o povo preferiu Barrabás?

6ª ABORDAGEM
O Sistema da Cruz!

O SISTEMA
•    A cruz era uma condenação romana, mas a acusação de blasfêmia, não! Ainda assim, os sacerdotes quiseram entregar Jesus de Nazaré para Roma.
•    A morte em cruz era uma das maiores vergonhas, naquela época, para a família e sua comunidade.
•    A pessoa morta pelo sistema da cruz passava a ser esquecido e seu passado apagado pelo povo.

Reflexão: Por que Jesus precisa, além de ser morto, ser retirado da história, ser esquecido?

7ª ABORDAGEM
Jesus de Nazaré é o Cristo e Ressuscitou!

A VITÓRIA
•    A cruz que era profana tornou-se, para os seguidores de Cristo, sagrada! Símbolo da vitória sobre a morte, sobre o esquecimento...
•    A origem da palavra Ressurreição, tanto no latim, quanto no grego, nos traz a ideia de ESTAR DE PÉ, LEVANTADO!
•    Tentaram matar Jesus e o seu projeto, esquecê-los... Mas eles “ESTÃO DE PÉ”, porque JESUS RESSUSCITOU!

Reflexão: O que a RESSURREIÇÃO DE JESUS tem a ver com a construção de um mundo mais justo e igual?

Por Daniel G. Ribeiro

COMENTÁRIOS RECENTES